Não foi possível carregar o Disqus. Se é um moderador, por favor leia o nosso guia de resolução de problemas.

Laura SottoMayor • há 2 meses

Começa por dizer que talvez se devesse coibir de comentar mas não resiste!! Comenta e revela que até se deu ao trabalho de ler os artigos do regulamento que lhe servem para defender a sua ideia. Comenta e revela que não sabe do que fala. Porque esquece os solicitadores? Quem lhe pagou o comentário? Vivemos em democracia e por isso todos temos direito a apresentar a nossa opinião, mesmo a mais idiota. E assim andou! Não sabe mesmo do que fala e devia ter-se coibido de falar sobre o que não conhece. Já agora os advogados e solicitadores são pessoas e como tal enfrentam problemas como qualquer cidadão e defendem a lei e a justiça e também lutam pelos seus direitos. Espero que brevemente se encontre face á aplicação de uma lei injusta ou abusiva e precise de um advogado ou solicitador que o defenda. Pode sempre optar por escolher outrem que opine, também, com a sua estultez e ignorância.

Povo enganado • há 2 meses

Há muitas árvores sãs em todas as áreas da nossa sociedade o pior são os frutos podres que vão proliferando sempre em maior quantidade. Tem razão quando afirma que não se pode julgar uma árvore pelos seus frutos podres, felizmente que ainda temos sérios e bons profissionais no nosso país.

Jose Fernandes • há 2 meses

Com tanta dúvida sobre o tema, acho que escolheu bem. O tema da árvore já satura porque não resolve nada. Parabéns pelo texto!
O mais provável que aconteça é que esses 13 advogados metam uma ação contra o Estado Português por violação dos direitos determinados e previstos no Cód. Civil, designadamente, o direito à inviolabilidade moral, ao bom nome, reputação e ainda à privacidade.

No fim são indemnizados e ressarcidos do dinheiro que devem, ou seja, fica tudo em águas de bacalhau.
Neste País toda a gente tem o direito de dever dinheiro, desde que ninguém saiba.

Paulo Silva • há 2 meses

Pois se o fizerem, contra o Estado não será, uma vez que a Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores não é gerida pelo Estado, nem as contribuições que recebe dos beneficiários (advogados e solicitadores) está sob a alçada e gestão do Estado como acontece na Segurança Social. De qualquer forma já perderam todos os direitos que são 0 comparados com a Segurança Social e o direito à reforma. E o que pagaram fica perdido a favor da CPAS. A CPAS deveria de vez ser integrada na Segurança Social e passar o Estado a gerir todo o dinheiro e imobiliário que a CPAS detém, de forma a que tudo fosse devidamente regulado e todos pudessem ter os mesmos deveres e direitos.